Geologia e História

As pedras discóides são também encontradas incrustadas no magma das rochas que foram derretidas a 450 milhões de anos na região de Corguinho no Mato Grosso do Sul.

Em uma escavação realizada na região, foram encontradas varias pedrinhas incrustadas em várias posições. Segundo a análise de geólogos, isso se deu quando ainda era deserto no Mato Grosso do Sul, quando não havia nem um morro na região, que era toda plana.

amostra de pedra discoide encrustrada em camada sedimentar

amostra de pedra discoide encrustrada em camada sedimentar

Foram várias camadas de areia e argila sendo depositada uma sobre a outra. A datação é de cerca de 450 milhões de anos, significando que as pedrinhas são muito mais antigas do que a formação existente na região.

Durante a história geológica dessa região, as pedras discóides são encontradas em todas as camadas sedimentares, desde as mais recentes até as mais antigas. As pedras são encontradas incrustadas, desde poucos centímetros até diversos metros. Nos 20 metros pesquisados, foram encontradas pedras em todas as camadas.

amostra de pedra discoide encrustrada em camada sedimentar no Mato Grosso do Sul

amostra de pedra discoide encrustrada em camada sedimentar no Mato Grosso do Sul

Uma conclusão interessante é que se essas rochas tem pelo menos 450 milhões de anos, as pedrinhas tem quase a idade da Terra, pois ela já existia bem antes disso, conforme as pesquisas dos geólogos. Isso possibilita uma noção sobre a época em que a Terra começou a receber visitas de seres extraterrestres, pois desde então eles vêm deixando sinais para nós.

Ainda hoje, elas se fundem e são formadas pelo mesmo processo. Existem diferenças de tonalidades e formatos entre as pedras discóides: umas mais claras, mais escuras, amareladas, rajadas, cada uma delas é relacionada a alguma freqüência relativa aos vórtices energéticos da Terra e da interação da malha magnética terrestre, dependendo da região de sua procedência.